terça-feira, 8 de março de 2016

Uma carta para a Mãe que perdeu a paciência

O dia chega ao fim e o corpo todo doí!
Não sabemos há quanto tempo estamos sem dormir uma noite inteira, embora os dias sejam curtos para tudo que temos que fazer em um paradoxo são intermináveis quando o filho pequeno insiste em não dormir.
Não temos mais uma refeição sem nos preocupar, porque nos mesmos horários temos de oferecer alimentos aos nossos pequenos que por diversas vezes recusam, viram o prato, jogam arroz em nossos cabelos e cospem aquela comida saudável que deu tanto trabalho para fazer.
Nossas roupas estão manchadas de leite e papinhas, e as deles dão um trabalho enorme para serem limpas e passadas, mas em um segundo já estão molhadas ou sujas.
E ainda assim tem as cobranças, que antes de termos filhos não nos atingiam, mas agora ferem nossa alma, porque não tem uma rotina,porque ele come tal coisa, porque ele ainda não anda, não fala, não tem dentes???
E em meio tudo isso vamos nos perdendo, já repararam que depois que temos filhos não somos mais a Fulana ou a Beltrana, somos a mãe de Fulano ou a mãe de Beltrano? E aquela pessoa que tinha uma vida social já era, as conversas giram em torno de fraldas, mamadas e brinquedos e assim criamos uma mãe "sem paciência".

Nos primeiros dias após a maternidade, estamos vivendo algo surreal, amamos de uma forma nunca antes conhecida e começamos a conhecer aquela pessoa que passou um tempo dentro de nós, mas essa pessoa não fala, não come, não dorme como a gente, tem necessidades totalmente diferentes e como somos humanos é natural que em determinado momento isso nos afete, para algumas pessoas que tem apoio e auxílio a caminhada é mais tranquila, já para outras...


Então, em um determinado dia a gente explode! Solta um berro, dá uns "sacodes", deixa lá chorando, aquele ser que você ainda não conhece direito e que conseguiu com seu choro, sua recusa, sua falta de limites te tirar do sério, e no mesmo momento, você se arrepende, se culpa, chora... e se sente sozinha e não entende porque tudo é tão difícil. Porque o filho da amiga dorme a noite toda, o da conhecida come sem crise, porque o filho da prima não faz birra e nesse momento com os olhos cheios de lágrimas, o coração cheio de incertezas pergunta para sim mesma, onde estou errando???


Querida mãe que perdeu a paciência,

Não se sinta só, toda mãe em determinado momento perde um pouco de suas forças, podemos ter lido livros, ouvido relatos de amigos e nos julgar preparadas para a maternidade, mas não estamos, ninguém está.
A maternidade é o envolvimento e relacionamento entre dois seres humanos, só por aí você já vê a complicação. Pense em todos os relacionamentos da sua vida, com pessoas que tem algo em comum, ou nem tanto, com pessoas que você escolheu conviver ou não, pare um pouco e reflita como todos os relacionamentos tem suas complicações.
Agora imagine que seu filho não conhece nada, é um computador em branco apenas com o botão de sentir ligado, ele vai te sugar para que possa gerar um banco de dados, isso acontece com todas as mães e seus bebês, eles necessitam da gente como do ar que respiram nesses primeiros dias, torne-se desnecessária mas não tenha pressa.
Quando sentir que vai perder a paciência, se distraia, desfoque dos afazeres e do que a razão pede para você. Seu filho vai dormir, vai comer, vai fazer tudo sozinho, um dia que parece distante mas não tanto, vai por mim.
Agora, se você já perdeu a paciência nada como um dia após o outro, buscando melhorar, não se culpe e nem se julgue, como eu disse lá no começo você não está só, desabafe, chore, peça ajuda e o mais importante, desconecte-se do mundo exterior e conecte-se com o seu coração, as respostas estão todas dentro dele, use o sentir que seus bebês tem de sobra, sei que você irá conseguir superar, muitas já superaram e você é forte e vai conseguir também.
Seu filho não vai deixar de gostar de você, porque um dia você perdeu a paciência, eles entendem porque ainda são meio que unidos na gente, eles podem até dizer que somos chatas e fazer beicinho, mas esquecem com a mesma facilidade, pois o laço materno é enorme e supera sempre muita coisa.
Para finalizar essa cartinha com a minha pequena já em meu colo, desejo paz, muito amor, perseverança e resiliência para vocês!!!!!!




Nenhum comentário:

Postar um comentário